← Back to portfolio

A Vida da Jornalista e Professora Luiza Barboza

Published on
    Cerca de dez anos antes do que pretendia, Luiza Cruz Barboza, graduada em Relações Públicas (1984) e posteriormente em Jornalismo (1988), ambos pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, iniciou sua vida acadêmica e é apaixonada pela profissão e por lecionar na área da Comunicação Social.  Luiza fez mestrado em Ciências Políticas na The University of Manchester na Inglaterra (1995) e doutorado em Comunicação e Cultura na Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005) e já pensa em fazer pós doutorado. Passou por veículos de comunicação como o Jornal O Globo (RJ), o The Guardian (UK), a Revista Caras (RJ), entre outros. Atualmente é professora na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e da Universidade Veiga de Almeida (UVA). 
    Luiza iniciou sua carreira como profissional de Relações Públicas, como assistente de Marketing e Promoções, que segundo ela, era a nomenclatura que era usada na época. “Eu precisava de um jornalista responsável por house e eu não era jornalista, quem assinava minhas matérias era outra pessoa, por esse motivo, eu resolvi fazer o curso de jornalismo para continuar fazendo meu house organ. Só que no final do primeiro ano do curso de jornalismo, eu comecei a gostar, porque eu não gostava de jornalismo, eu tinha a maior implicância, mas isso era uma coisa da época de faculdade mesmo, de uma rixa entre o profissional de jornalismo e o profissional de relações públicas lá na UERJ. E eu comecei a gostar, vi que eu queria trabalhar nisso, trabalhar em redação, e vi que o jeito era fazendo estágio, larguei tudo e fui correr atrás de estágio de jornalismo e graças a Deus consegui, passei no estágio do Globo, fui contratada depois, gostei e fiquei”, declarou Luiza. 
    De todas as área que Luiza trabalhou, a área em que ela encontrou mais facilidade foi no Jornal O Globo. Segundo ela, o O Globo é uma excelente empresa para se trabalhar, tanto em termos de benefícios, como também em termos de ambiente de trabalho. “O ambiente de redação é um ambiente que eu gosto, porque você está com pessoas inteligentes, pessoas com o mesmo nível educacional e cultural que você tem, em termos de debates, etc. Então é um ambiente de trabalho bastante estimulante”, disse ela.  
    Luiza foi questionada sobre o fato de ter prosseguido sua vida profissional na área acadêmica e ressaltou: “Sempre foi um objetivo para mim, mais tarde, passar os meus conhecimentos, as minhas experiências aos outros.” Ela disse que pelo fato do sistema educacional público ser bastante diferente na década de 80, seus professores da Universidade, principalmente no curso de Relações Públicas, não tinham experiência de mercado e não tinham muito o que passar para os alunos, pois tinham saído da academia direto para a sala de aula. Acrescentou que tinha apenas um professor que era um profissional de mercado e que adicionava muito as aulas. “A gente se espelhava muito nele, porque ele que trazia experiência real para a gente, e a gente podia debater. E eu sempre pensei, acho que eu quero ser professora e quero poder fazer isso, eu quero poder passar esse tipo de experiência para os meus alunos, trazer esse tipo de vivência”, disse ela. 
    De acordo com Luiza, o pontapé inicial de sua carreira acadêmica aconteceu assim que voltou da Inglaterra com o mestrado concluído em 1994. Por pura coincidência, pois ela disse que nem estava pensando em dar aula, já que era um projeto de vida no qual começou uns dez anos antes do pretendido. Assim que chegou no Brasil, uma amiga que havia sido convidada para montar o curso e ser coordenadora do curso de Comunicação na Universidade Veiga de Almeida, a convidou para dar aulas. Desde então, já se foram mais de 20 anos. 
    Por fim, Luiza declarou a coisa mais importante que aprendeu na carreira, “Eu acho que nós devemos acreditar em nós mesmos, isso é o mais importante, você tem que ter confiança em você e na sua capacidade.” E ainda deu um conselho para os profissionais da área que estão iniciando sua carreira profissional e entrando no mercado de trabalho que é fazer estágio o mais rápido possível. 
Close